Secretário Nacional de Transportes receberá delegação representante dos motoristas do transporte alternativo

Movimento de protesto iniciado no Nordeste, vem sendo encabeçado por milhares de motoristas e perueiros e já paralisaram Petrolina-PE no último dia 1º deste mês

General Jamil Megid Júnior, ministro da SNTT, receberá os motoristas vanzeiros.

O movimento nacional dos motoristas de transporte alternativo que luta contra a aplicação da Lei 13.855, considerada pela categoria de trabalhadores como a “Lei do Extermínio”,  recebeu a confirmação de uma audiência com o Secretário Nacional de Transportes Terrestres, General Jamil Megid Júnior.

Conforme correspondência enviada pela Secretária de Agenda, Amanda Tavares de Carvalho, a reunião com a Delegação de Representantes do Transporte Alternativo do Brasil está marcada para o próximo dia 8, às 14h00, no Gabinete do Ministro na Esplanada dos Ministérios em Brasilia.

Bahia presente

Vanzeiros devem realizar grande manifestação em Brasilia na próxima semana.

O movimento de protesto encabeçado por milhares de motoristas e perueiros do Nordeste vem recendendo adesões de vários estados de norte a sul, inclusive Bahia e São Paulo. Conforme informações da coordenação repassadas via grupos de Whatsapps, da Bahia já estão confirmadas as presenças em Brasilia, de motoristas das cidades de Vitória da Conquista, Itabuna, Jequié, Ipiaú e Salvador, sendo esperada a confirmação de representações dos vários municípios brasileiros.

Lei do extermínio

Lei 13.855, considerada pelos perueiros como a “Lei do Extermínio” foi publicada na terça-feira, 9 de julho, no Diário Oficial da União , aumentando a punição para transporte alternativo, classificando-o como “pirata”. A nova lei apresentada pelo deputado Daniel Coelho (Cidadania-PE), aprovada pela Câmara dos Deputados em 2017 e pelo Senado no mês passado, altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503, de 1997).

Segundo a lei, o transporte pirata — seja de ônibus ou van escolar sem autorização, ou transporte remunerado de pessoas ou bens — passa a ser classificado de infração gravíssima, com multa (multiplicada por cinco, no caso do escolar) e perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além da remoção do veículo como medida administrativa. As novas punições entram em vigor em 90 dias a contar da publicação no DU.

Até então, Código de Trânsito Brasileiro classificava o transporte escolar ilegal como infração grave, e o de pessoas e bens, como infração média.

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios