‘Se tiver papelada, não voto’, diz idosa ferida após escorregar em santinhos

Rosa Maria Stancati, de 70 anos, caiu quando atravessava a rua para votar.

Idosa procurou advogado e pretende pedir indenização em São Carlos, SP.

Do G1 São Carlos e Araraquara

Aposentada ainda sente dores após escorregar em santinhos e cair em rua de São Carlos (Foto: Luana Marques/ G1)
Aposentada ainda sente dores após escorregar em santinhos e cair em rua (Foto: Luana Marques/ G1)

“Se tiver muita papelada, eu não vou votar [no 2º turno]. Tenho medo de acontecer de novo”. A frase é da aposentada de 70 anos que se feriu após escorregar em santinhos, panfletos de candidatos das eleições, quando estava a caminho da votação em São Carlos (SP). Ainda se recuperando dos ferimentos da queda, Rosa Maria Stancati contou ao G1 que ficou triste por não ter conseguido votar, pois queria exercer sua função de cidadã, mesmo não sendo obrigada. Ela registrou boletim de ocorrência e pretende entrar com uma ação para ser indenizada. O Ministério Público Eleitoral (MPE) ainda tenta identificar os responsáveis.

Idosa lamentou não poder votar após escorregar e cair em santinhos em São Carlos (Foto: Luana Marques/ G1)
Idosa lamentou não poder votar após escorregar
e cair em santinhos (Foto: Luana Marques/ G1)

O acidente aconteceu quando Rosa se dirigia à Fundação Educacional São Carlos (Fesc), no Centro, local onde votaria. Quando atravessava a rua, ela escorregou nos santinhos espalhados, caiu e bateu a cabeça no chão. Com sangramento, ela foi imobilizada e socorrida pelo Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) até a Santa Casa de São Carlos. Ela ficou internada em observação, mas não foi constatada nenhuma fratura, sendo liberada no fim da tarde do mesmo dia.

Após o susto, a idosa afirmou que está se sentindo melhor, apesar de ainda sentir dores no corpo. “Pensei até que tinha rachado minha cabeça, mas foi só um machucado feio que sangrou muito. Machuquei as mãos também e estou com o olho preto por causa do impacto”, contou.

Idosa cai após escorregar em santinhos em rua de São Carlos (Foto: Marlon Tavoni/ EPTV)
Idosa cai após escorregar em santinhos em rua
de São Carlos (Foto: Marlon Tavoni/ EPTV)

Com 70 anos, a legislação eleitoral permite que o voto seja opcional, mas Rosa afirmou que faz questão de escolher seus candidatos sempre que pode. Por conta do acidente, a mulher não conseguiu votar a tempo. “Fiquei triste por causa da queda e por não ter conseguido votar. Tive que ir para a Santa Casa e depois fui para casa descansar”, explicou.

Indenização e exemplo
A aposentada registrou um boletim de ocorrência e fez um exame de corpo de delito para averiguar as consequências do acidente. Ela já entrou em contato com seu advogado para pedir uma indenização aos responsáveis. “Foi a primeira vez que cai por causa de santinhos. Eu voto na [Escola Estadual] Professor Luiz Augusto, e o que tinha de papel jogado lá era um absurdo. Não dava nem para ver a calçada ou a rua. Os políticos precisam parar com isso. Se continuar, eu não vou mais [votar], porque é muito difícil andar e muito fácil de cair. Tinha que haver fiscalização”, desabafou Rosa.

Os políticos precisam parar com isso. Se continuar, eu não vou mais [votar], porque é muito difícil andar e muito fácil de cair. Tinha que haver fiscalização”
Rosa Maria Stancati

Apesar da queda, ela ficou feliz com a repercussão da história e espera que ela sirva de exemplo. “Gostei de ter visto a história se espalhar. Um monte de gente veio comentar que me viu na internet e na televisão. As pessoas tem que ver e saber o perigo disso. Será que quem jogou aqueles santinhos não tem mãe, pai ou avós? Abençoo a eduação que tive, pois meus pais ensinaram a não poluir”, ressaltou.

Em relação ao segundo turno, a aposentada afirma que quer votar, mas teme encontrar os santinhos nas ruas novamente. “Se tiver muita papelada, eu não vou votar. Tenho medo de acontecer de novo. Não fui só eu que caí, sei que outras pessoas também escorregaram. E não são só os idosos que podem cair, poderia acontecer algo com uma mãe com criança no colo”, falou.

Ministério Público Eleitoral
O promotor de Justiça Eleitoral de São Carlos, Denílson de Souza Freitas, afirmou ao G1 na segunda-feira (6) que vai analisar as câmeras de segurança para identificar os responsáveis pela sujeira nos locais de votação. De acordo com ele, o MPE e representantes dos partidos já haviam definido o veto a esse tipo de propaganda.

SAntinhos espalhados em calçada provocaram a queda de idosa em São Carlos (Foto: Marlon Tavoni/ EPTV)
Santinhos espalhados em calçada provocaram a
queda de idosa (Foto: Marlon Tavoni/ EPTV)

A legislação eleitoral determina que jogar santinhos na rua em dia de eleição é crime e a pena varia de seis meses a um ano de prisão, além da multa que vai de R$ 5.320,50 a R$ 15.961,50. A distribuição de folhetos e impressos, no entanto, é permitida na véspera das eleições até as 22h.

“Para caracterização desse delito, nós estamos recolhendo parte dessa propaganda que foi jogada. Para identificar quem jogou essa sujeira nós estamos verificando as câmeras de segurança dos prédios públicos e particulares e das escolas de votação, além de eventuais testemunhas. Nós vamos cruzar os dados e puni-los”, explicou o promotor na ocasião. Ainda de acordo com ele, assim que a autoria for identificada, será ajuizada uma ação para buscar as punições.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios