Scola dá aula, Argentina vence a França e volta à final da Copa do Mundo depois de 17 anos

Aos 39 anos, pivô é o cestinha do triunfo que recoloca a renovada seleção hermana na decisão após 2002; único título veio em 1950

Que ninguém duvide da Argentina! Até aqui, quem pagou para ver se deu mal. A renovada seleção hermana, liderada por um “senhor” de 39 anos, não se cansa de surpreender na Copa do Mundo de Basquete. A vítima da vez foi a toda poderosa França, que derrubou os EUA, mas não foi capaz de fazer frente a Luis Scola e cia, sendo batida por 80 a 66 na semifinal. Com isso, os argentinos estão de volta à decisão do mundial pela primeira vez em 17 anos.

Numa arena lotada em Pequim e com Kobe Bryant e Manu Ginóbili sentados ao lado da quadra, Campazzo fez as mágicas de sempre. Scola correu pelos dois lados da quadra. Vildoza mostrou que literalmente está pronto. E deu Argentina de novo!

Na decisão, no domingo, ás 9h, os sul-americanos vão pegar a Espanha, que mais cedo venceu a Austrália com duas prorrogações. A Argentina volta à final da Copa do Mundo após 2002, quando foi derrotada pela Iugoslávia.

O último e único título hermano veio em 1950, na primeira edição de Mundiais, em Buenos Aires. Se a medalha já está garantida, os argentinos podem escrever uma história ainda maior na China. É esperar até domingo para ver se será possível.

O jogo

A Argentina colocou pressão em cima da França desde o começo. Passes rápidos, uma boa leitura de bloqueios e Luis Scola mais uma vez inspirado. Com Gobert bem anulado e zerado no primeiro período, os argentinos estiveram sempre na frente. Scola, incansável, anotou incríveis 10 pontos nos primeiros dez minutos. Labeyrie e De Colo eram as saídas ofensivas de uma França que perdia por 21 a 18 ao fim do primeiro período e precisava encontrar armas para passar a ditar o ritmo.

Com três minutos do quarto seguinte, a França enfim liderou em algum momento. Fournier foi para a cesta e colocou 24 a 23 no marcador. A frente francesa durou pouco. Campazzo acelerou e em assistência sem olhar deixou para Deck pontuar.

Laprovittola também foi para dois pontos: 29 a 24 na metade do período. Com uma energia absurda na defesa, a Argentina mantinha a frente apesar da queda no aproveitamento. Faltando um minuto, os hermanos venciam por 34 a 30. Scola era o cestinha do jogo com 13 pontos, e Fournier tinha nove para a França. Na bola final do período, Campazzo meteu para três, sofrendo falta que a arbitragem não viu: 39 a 32.

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios