Rappi é processada nos EUA

A startup colombiana de entregas Rappi está sendo processada nos EUA por três empresários colombianos que acusam a empresa de “roubar estratégia de mercado” de um outro aplicativo de delivery.

Segundo os empresários, o CEO da Rappi, Simon Borrero, foi contratado em 2015 por uma empresa de software chamada Imaginamos para desenvolver um aplicativo de entrega chamado Kuiky, que não vingou. No final do mesmo ano Borrero teria lançado o Rappi.

Em declaração à Bloomberg, a Rappi afirmou que irá “se defender vigorosamente” das acusações, que são “objetivamente incorretas”. Segundo a empresa, a marca e o domínio de internet foram registrados junto às autoridades colombianas em 2014.

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios