Projeto Cariangó inspeciona avanços do reflorestamento do Bioma Caatinga

O apicultor familiar Wellington, apresenta ao ambientalista Salvador Roger, o crescimento da Algaroba, plantada pelo projeto em 2015.
O apicultor familiar Wellington, apresenta ao ambientalista Salvador Roger, o crescimento da Algaroba, plantada pelo projeto em 2015.

Nos primeiros meses deste ano, janeiro a março, a Equipe Técnica do Projeto Cariangó  vem se dedicando à distribuição de  mudas das espécies nativas e outras variedades madeireiras, na região do Médio Paraguaçu. Como exemplo, destaca-se a operação do plantio de mudas nas comunidades rurais de Testa Branca e Guaribas, no interior de Itaberaba, onde foram distribuídas 350 mudas das espécies forrageiras Moringa e Algaroba (esta última para a produção de madeira além da forragem animal).

Momento da entrega de novas mudas em Guaribas.
Momento da entrega de novas mudas em Guaribas.

Conforme o ambientalista Josaniel Azevedo, que coordena os viveiros de produção da ONG Fundação Paraguaçu, “a meta do nosso protejo é plantarmos 1.0 milhão de árvores para salvar o Bioma Caatinga e preservar nosso Rio Paraguaçu”. Dentre os beneficiários estão os agricultores familiares Louta e João Lhomis, na Testa Branca com mudas de Moringa para forragem animal e reflorestamento.

Os agricultores familiares João e Louta, receberam mudas de Moringa e Algaroba.
Os agricultores familiares João e Louta, receberam mudas de Moringa e Algaroba.

Outra área inspecionada foi a do apicultor Wellinton, na região de Garibas, onde anteriormente, plantou com o pai, Seu Valdir, outras 296 mudas de Algaroba, que foram cultivadas no Viveiro do Parque de Exposição Agropecuária, em parceria com o Sindicato Rural de Itaberaba. Durante a visita Wellington apresentou dois pés de Algaroba do Projeto Cariangó, plantadas logo após o curso de Produção de Mudas realizado pela ONG Fundação Paraguaçu, em abril de 2015, em parceria com o Sistema FAEB/SENAR/CNA. As ações no viveiro tem sido acompanhadas pelo engenheiro florestal, Wendel Rangel, que coordena e orientas as ações de estagiários do projeto.

O Viveiro do Parque de Exposição chegou a produzir 4.500 mudas como apoio de estudantes estagiários do Colégio CETEP.
O Viveiro do Parque de Exposição chegou a produzir 4.500 mudas como apoio de estudantes estagiários do Colégio CETEP.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios