Omissão da APMI inviabiliza a reabertura do Centro Cirúrgico do Hospital Regional Santa Casa de Itaberaba

A diretora Ana Paula revela ganhos extras da APMI.
A diretora Ana Paula revela ganhos extras da APMI.

Uma grave revelação que compromete a APMI foi apresentada pela médica Ana Paula Dias de Santana, gestora da Diretoria de Controle das Ações de Saúde – DICOM/SESAB, durante os trabalhos do II Fórum SOS Hospital Regional Santa Casa de Itaberaba, revelando que a Associação de Proteção à Maternidade e à Infância de Castro Alves – APMI recebeu mais de R$200 mil em recursos do Estado para realizar os serviços cirúrgicos, porém se omitiu a revitalizar as salas de cirurgia do HRI.

A notícia provocou reações de indignação junto aos membros da Provedoria da Santa Casa e em meio ao público presente, porque a APMI recebeu sem prestar nenhum serviço, tendo o provedor Salvador Souza salientado ser “inadmissível que um parceiro tão importante na revitalização do nosso hospital tenha omitido estas informações nos balanços apresentados à Irmandade Santa Casa”. Para o vereador do PT, Roberto Almeida, presente na mesa de trabalhos, “a APMI precisa esclarecer com urgência esse tipo de falha em sua gestão à frente do hospital”.

Pela planilha financeira apresentada pela médica Paula Santana, a SESAB repassou mensalmente, o valor de R$32.381,00, durante oito meses de 2012, em pagamento aos serviços de cirurgias correspondentes a 56 Autorizações de Internamento Hospitalar – AIHs, “sem descontos, mesmo não ocorrendo os serviços, pois a intenção era a geração da série histórica para possibilitar ao Governo do Estado ampliar os investimentos no Hospital Regional Santa Casa”, afirmou a diretora da DICOM/SUREGS esclarecendo, entretanto, que as verbas repassadas para a APMI cumpriram um procedimento contratual legal do sistema de saúde.

Ausência de parceiros inviabilizou o Fórum

DSC02975Outra situação incômoda foi a constatação da ausência de representação da maioria dos municípios do Território Piemonte do Paraguaçu e a inexplicável falta dos representantes das entidades parceiras que realizam os serviços de saúde no Hospital Regional. Por conta disso, o provedor Salvador Pereira de Souza anunciou a falta de quorum necessário para instalação do II Fórum SOS Hospital Regional Santa Casa, que tinha como foco principal a definição de ações para a revitalização dos centros cirúrgicos e da Unidade de Tratamento Intensivo – UTI, do HRI, há mais de cinco anos paralisados e sucateados. “Não se admite que num momento como este, quando nos reunimos para resolver os principais gargalos que ainda dificultam o funcionamento do nosso hospital, não estejam presentes os principais parceiros que precisam de melhor estrutura hospitalar para exercer os serviços de saúde”, bradou o provedor Salvador Souza.  O fórum foi então transformado numa reunião da Provedoria.

O evento, realizado na tarde da sexta-feira, 15, no auditório do Centro de Educação Profissional do Território Piemonte do Paraguaçu – CETEP, contou com a presença pontual das representantes da Secretaria Estadual de Saúde – SESAB, a diretora Ana Paula da DICOM/SUREGS, acompanhada da médica Norma Lúcia de Meireles Briojoe e a enfermeira Lizandra Cunha Amin, diretora da 18ª Dires. Dentre os municípios, apenas Itaberaba marcou presença com o prefeito João Filho sendo representado pela secretária municipal de saúde, Denize Mary Sá Teles. Da APMI, estava apenas a funcionaria e assistente social Jocinete de Oliveira Brandão; do Instituto do Rim compareceu o médico nefrologista Flavio, enquanto o Laboratório Biogênese Diagnóstico foi representado por suas diretoras bioquímicas Juliana Torres e Eleontina Santana.

Registrou-se também a participação de representantes do movimento negro quilombola, voluntárias sócias das Orquídeas do HRI, membros da Irmandade Santa Casa e populares.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios