Número de ataques online contra usuários da Apple crescem 9%

Segundo o relatório, as fraudes mais comuns são aquelas em que os cibercriminosos simulam a página do iCloud para roubar as Apple ID

A empresa de segurança cibernética Kaspersky divulgou na quarta-feira (11) um estudo que registra aumento do número de ataques de phising contra os usuários da Apple. Durante o primeiro semestre deste ano, houve um crescimento de  9% em relação as fraudes ocorridas durante todo o ano de 2018.

Segundo o estudo, as fraudes mais comuns são aquelas em que os cibercriminosos simulam a página do iCloud para roubar as Apple ID. São enviados spams simulando e-mails de suporte técnico da empresa com mensagens que ameaçam bloquear a conta do usuário caso ele não clique no link.

A Kaspersky ainda relata que outro golpe comum é convencer os usuários que o computador corre risco de segurança e que bastam alguns cliques e, alguns dólares, para resolver o problema.

 

O relatório também constatou que além do crescimento do phishing, há outros tipos de ameaças aos usuários do MacBook, como os adwares, menos ofensivo que um software malicioso, mas sobrecarregam os dispositivos com anúncios não autorizados. Esse tipo de vírus pode ser utilizado para esconder ameaças mais perigosas.

O relatório conclui que os usuários do MacBook de alguns países foram mais afetados. O Brasil lidera a lista com 30,9% dos usuários atacados, seguido da Índia com 22,1%, e da França com 22%.

R7 entrou em contato com a Apple, que até a publicação dessa matéria não enviou o seu posicionamento.

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios