Eleições 2018FlashItaberaba

Mesmo em clima de normalidade nas eleições, a Justiça Eleitoral de Itaberaba registra dois crimes eleitorais

O MP flagrou um motorista na pratica do crime de transporte de eleitores e um um eleitor praticando "boca de urna"

Mesários recepcionam o voto para eleitores digitarem nas urnas eletrônicas.

Nas eleições deste domingo, quando os eleitores darão 6 votos, distribuídos entre deputados federal e estadual, dois senadores, governador e presidente da república, Itaberaba estará concentrando 42 mil e poucos eleitores, na 42ª Zona Eleitoral, que soma mais 13 mil eleitores de Boa Vista do Tupim e 3.500 em Ibiquera, totalizando quase 70 mil votantes, conforme estimativa apresentada pelo Cartório Eleitoral. Como de costume, as ruas de Itaberaba amanheceram sujas pelo material eleitoral, santinhos, cartazes, folders e adesivos, que foram lançados pelos candidatos e seus cabos eleitorais, no mau exemplo da incivilidade.

Eleitores como a anciã Maria, de 80 anos, chegam para o entusiamo do voto no Colégio Modelo.

Em entrevista nesta manhã, para a reportagem de O Paraguaçu, a juíza eleitoral Renata Furtado Foligno destacou que as eleições neste domingo, 7, transcorrem “dentro da previsibilidade, com os eleitores exercendo o voto em clima de normalidade”.

Ocorrências

Amizades se encontram no domingo eleitoral: a pró Thelma Fraga e Gilberto Toro e esposa.

A Juíza revelou algumas ocorrências quando da instalação das urnas eletrônicas nas 194 sessões eleitorais. Alguns aparelhos apresentaram dificuldade para abrir, mas logo foram resolvidos com o uso das chaves adequadas, sem alterar a abertura da seção eleitoral, que iniciou o atendimento aos eleitores, exatamente, às 8 horas da manhã.  Entretanto, ouve a substituição de uma urna eletrônica que apresentou travamento na Escola.Edgar Santos. Conta a juíza Renata Folígno, que determinado eleitor ao votar constatou que a Urna não dava segmento ao voto seguinte, sendo examinado pelos mesários e técnicos do TRE, que determinaram sua substituição, desafogando a fila de eleitores que crescia.

Candidatos e deputados sujaram as ruas da cidade, cometendo crime previsto na eleitoral.

Flagrantes

Conforme a juíza eleitoral, pela manhã foram registrados pelo Ministério Público duas ocorrências configuradas como crimes eleitorais. Durante a fiscalização eleitoral o promotor Público Thyego de Oliveira Matos atuou um eleitor praticando crime de boca de urna; Em outro momento flagrou um motorista na pratica do crime de transporte de eleitores, ao desembaçar os votantes na porta de um colégio. Auxiliados por policiais, o promotor eleitoral fez a apreensão do material e conduziu os infratores para averiguações, sendo soltos em seguida para responder pelos crimes em liberdade.

Com grande esforço, Edésia Pinheiro e familiares chegou para depositar seu voto democrático.

Liberdade do voto

Para a realização do pleito eleitoral a juiz informa que foram mobilizados 776 mesários, somados a 54 coordenadores, todos voluntários convocados pela justiça, além de 9 técnicos de urna, quatro servidores do Cartório Eleitoral, a juíza e o promotor eleitoral. Consta que neste ano, 30% do eleitorado desta Zona Eleitoral votou pelo sistema biométrico.

O técnico de informática Cristiano, chegou na fila com seu filho para garantir seu voto.

Ao avaliar o domingo eleitoral, a Juíza Renata Folígono destacou a paz reinante e disse que todos os eleitores devem concretizar com normalidade a manifestação do seu voto. “Para isso a Justiça cuidou de garanti aos eleitores a máxima liberdade para o exercício do direito de votar e. aos candidatos, a segurança no ato de ser votado”.

O vereador Amauri Pinheiro e Juvenal Morais votaram no CETEP.
No colégio modelo a jovem eleitora sorri ao chegar para depositar seu voto na urna eletrônica.
Em frente ao Colégio Modelo, muita poluição na rua.
Na fila, os eleitores mantiveram paciência pela manhã. A tarde a votação foi folgada.

Salvador do Paraguaçu

Salvador do Paraguaçu ou Salvador Roger Pereira de Souza, é jornalista editor fundador do periódico O Paraguaçu em circulação desde 1976. Solteiro (divorciado) é um ambientalista dedicado em defesa do Rio Paraguaçu. Para tanto criou a ONG Fundação Paraguaçu, com a qual promove o Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores nativas na região do médio Paraguaçu e Chapada Diamantina. O projeto conta com a participação de empreendedores, muitos voluntários e recebe apoio da Fundação Interamericana - IAF, que firmou o convênio BR-898 com a doação de U$49.0 mil dólares, em apoio a etapa inicial da meta de 1.0 milhão de árvores a serem plantadas em cinco anos. O ano inicial é 2016.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *