Justiça concede direito de resposta ao prefeito Cézar de Adério nos microfones da Radio Milagres FM

A emissora comunitária pertence ao ex-prefeito Raimundo Galego que autorizou locuções que, conforme a sentença, divulgam inverdades

O prefeito Cézar de Aderio estará pessoalmente, nesta terça-feira, no estúdio da Radio Milagres FM.

Em decisão liminar proferida no último dia 20, o juiz de direito Alberto Fernandes Sales de Jesus, da 1ª vara crime da Comarca de Amargosa, determinou que a Rádio Milagres FM, de propriedade do ex-prefeito Raimundo Silva Galego (PSD), conceda o direito de resposta ao prefeito Cézar Rotondano Machado, o popular Cézar de Adério, durante 15 dias da programação. A sentença determina o cumprimento imediato, tendo o prefeito agendado o horário do meio-dia desta quarta-feira, 25, quando entrará no programa diário, “Manda Brasa Não Manda Brisa”, conduzido pelo blogueiro Raimundo Jorge Martins Ribeiro. O processo aponta que a cada programa, Raimundo Jorge e outros locutores da emissora, vinham tecendo injurias, difamações, calúnias e inverdades, contra a atual administração conduzida pelo gestor Cézar de Adério.

Multa diária de R$5.0 mil

Na sentença liminar o juiz Alberto Sales determina que “o direito de resposta deverá dar-se no tempo de 15 minutos por programa, pois as palavras foram inverídicas e ao mesmo tempo errôneas … para evitar prejuízo de difícil reparação para o postulante”.  Para o cumprimento imediato da sentença o magistrado estabeleceu uma multa diária de R$5.000,00, em caso de descumprimento por parte dos proprietários da Radio Milagres FM, seus programadores e locutores.

Reagindo contra o que considerou falta de ética e desrespeito ao dever do radialismo sério, o prefeito Cézar de Aderio criticou o uso ilegal da rádio comunitária. “Isso ficou claro nas eleições de 2016 e nas anteriores, quando o ex-prefeito sempre desligava a radio em períodos eleitorais. Atualmente a emissora vem sendo usada para a transmissão de desafetos políticos”, criticou Cézar de Adério, fortalecido pela decisão judicial.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios