Grupos políticos do PT, armados de foices, paus e facões, impedem caminhada do PSDB em Boa Vista do Tupim

Os militantes Jai e Adailson, com boné do MST, nos momentos da intimidação ao candidato a vereador, no domingo passado.
Os militantes Jai e Adailson, com boné do MST, nos momentos da intimidação ao candidato a vereador, no domingo passado, apesar dos protestos das famílias assentadas.

Uma temerária onda de violência vem despontando nas eleições do município de Boa Vista do Tupim, desde o domingo passado, por ações do prefeito Gidu Passos Trabuco, que vem incentivando seu grupo politico a cometer arbitrariedades contra seus adversários, depois que chapa de Dinho Campos (a prefeito – PSDB) e Leo Satélite (vice-prefeito PMDB) tornou-se a favorita para ganhar as eleições em 2 de outubro. Hoje, em pleno dia das comemorações da independência, um grupo de líderes políticos, cabos eleitorais e representantes do MST ligados ao prefeito, ocuparam a entrada do Assentamento Aliança, a 25 km da cidade, impedindo a caminhada dos militantes e candidatos da coligação do PSDB/PMDB.

Dentre os políticos baderneiros, estava lá dando ordens de batalha e violências durante o bloqueio, o coordenador do MST de alcunha Cid; o militante do MST Leandro, irmão do candidato a vereador Neto do MST, desincompatibilizado do cargo de secretário municipal de agricultura; o cabo eleitoral Adailson, irmão do chefe de gabinete da prefeitura, Paulo Gracino, ex-vereador do PT; a professora Marina Gracino, nomeada diretora municipal das escolas rurais; e Jailton, o vulgo Jai, coordenador do MST no Assentamento Aliança.

O incidente provocou a presença de policiais militares da 2ª Cia PM, de Ruy Barbosa, sob o comando do Ten. PM. Luís Fernando, que se apresentou com certidão da Justiça, confirmando o direito do PSDB realizar o evento naquele local e nesta data, pois a caminhada estava registrada no cartório eleitoral.  Entretanto, os lideres da insubordinação civil e os demais acólitos e seguidores, armados de foices, paus e facões, não arredaram o pé do local, apesar das advertências e orientações da PM, que advertiu estarem descumprindo uma determinação da juíza eleitoral, Renata Foligno, da 42ª Zona Eleitoral de Itaberaba. Diante da insubordinação, o Tenente PM Fernando, alegando evitar conflitos, restou aconselhar os candidatos Dinho e Léo a suspenderem a realização do evento que seria às 10 horas da manhã.

Agressão a candidato a vereador

No domingo passado ocorreu o primeiro incidente de violência eleitoral praticado por políticos e militantes ligados ao prefeito Gidu, quando o Jai do MST chegou ao assentamento Aliança acompanhado pelo individuo de vulgo Bute. Ele ameaçaram o candidato a vereador Val de Nico, da coligação PSDB/PMDB, de porrada e expulsão do local. Para evitar ser agredido o  candidato afastou-se do local, mesmo sendo amparado pelas famílias dos assentados, que rejeitam qualquer tipo de violência.

Diante da crescente violência e ameaças perpetradas pelo grupo do prefeito, o candidato Dinho encaminhou representação ao Ministério Público, Justiça Eleitoral e à Policia Federal, pedindo providências urgentes para garantir a segurança pública e a vida dos cidadãos tupineneses,  durante o período de campanha e no dia das eleições.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios