Ex-prefeito embarga a construção do Estádio Municipal prejudicando trabalhadores e desportistas de Milagres

O embargo da obra do Estádio Municipal foi determinado pelo juiz Alberto Fernando Sales de Jesus, titular da Comarca de Amargosa que, em Decisão Interlocutória acatou petição do ex-prefeito Raimundo de Souza Silva Galego

 

Obras paralisadas do Estádio Municipal, por decisão judicial.

As obras de construção do Estádio Municipal da cidade de Milagres estão suspensas por determinação judicial, desde a segunda feira, 3, depois que o ex-prefeito Raimundo de Souza Silva Galego (PSD) entrou com pedido de embargo na Justiça, gerando sérios prejuízos para a população milagrense. A paralização dos trabalhos de construção do Estádio obrigou a empresa construtora a dispensar mais de 30 trabalhadores contratados, todos com carteira assinada, que foram colocados no olho da rua.

Paralisação das obras do Estádio desempregou dezenas de trabalhadores.

Revoltados, muitos trabalhadores pais de família confessaram indignação “diante da perseguição odiosa” praticada pelo ex-prefeito Galego, contra atual administração municipal. “Não sei o que vai ser da minha família no final do mês, pois fiquei sem renda e esse era o único trabalho que consegui nos últimos cinco meses”, confessou um dos operários desempregado que pediu para não se identificar.

Inveja politica

O diretor de esportes, Amós, condena a perseguição politica que prejudica os esportes.

A atual administração da prefeitura conquistou junto ao ministério dos Esporte um convenio no valor de R$2.0 milhões para a construção do Estádio Municipal, trazendo uma obra que era esperada há muitos anos pela população e os desportistas locais. Dirigentes e desportistas declaram que a chegada da obra despertou “a inveja e a perseguição” do grupo político liderado pelo ex-prefeito Galego, “pois não se conformam que o atual prefeito realize uma obra que eles prometeram em todas as campanhas eleitorais, mas nunca cumpriam”, afirma o Diretor Municipal de Esportes, Amós.

“Aquele político derrotado só pensa nele mesmo e no seu enriquecimento”, bradou o vereador e desportista, Roberto de Lourival (PCdoB), criticando o “ato de perseguição armado pelo ex-prefeito Galego”, assim que soube do embargo das obras do Estádio Municipal. O vereador disse que vai levar o assunto para o plenário da Câmara.

Vereador Roberto de Lourival fará pronunciamento na Câmara.

Conta o vereador que o ex-prefeito Galego, assim que foi derrotado nas eleições de 2016, pelo atual prefeito Cézar de Adério (PP), passou a cometer todo tipo de perseguição contra o Governo da Reconstrução. “A briga dele contra a construção do Estádio, demonstra que ele só tem ódio contra Milagres e só faz aquilo que for do seu interesse pessoal”.

Litigio de área

O embargo da obra do Estádio Municipal foi determinado pelo juiz Alberto Fernando Sales de Jesus, titular da Comarca de Amargosa que, em Decisão Interlocutória acatou petição do ex-prefeito Raimundo de Souza Silva, determinando ao Prefeito ou Secretário de Obras “que cesse imediatamente a construção de qualquer imóvel na área objeto deste litígio, sob pena de multa diária de R$ 3.000,00 (três mil reais) por descumprimento da decisão judicial, além das cominações das sanções cíveis, administrativas e penais”.

Contra a decisão, o município recorreu ao Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, cuja instancia superior já havia decidido, liminarmente, o direito da Prefeitura de realizar a desapropriação para fins de utilidade pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *