Dois candidatos polarizarão as eleições em Itaberaba: Leonardo e Ricardo

Leonardo conta com o apoio de ACM Neto.
Leonardo conta com o apoio de ACM Neto.
Ricardo recebe apoio de João Leão
Ricardo recebe apoio de João Leão
Faltando apenas 22 dias para o inicio do período oficial da campanha eleitoral de 2016, previsto pelo TSE para 15 de agosto, os eleitores de Itaberaba estão sendo visitados por apenas dois pré-candidatos a prefeito: o advogado Leonardo (PSDB), oposicionista do prefeito João Filho e o dentista Ricardo (PSB), lançado pelo alcaide. Os dois tendem a polarizar a campanha. Articulam-se também as pré-candidaturas de José Raimundo (PMDB), Doutor Gilmar (PT) e Haroldo da Caixa (PCB) que seguem trilhando na oposição.
Os principais concorrentes, Leonardo e Ricardo, apresentam duas características distintas: Leonardo vem com a chance de unificar os partidos das oposições em torno de uma plataforma de governo popular participativo; Ricardo simboliza a oportunidade de unificar e apaziguar sua família Mascarenhas em torno de um governo continuísta e patriarcal.
Cabedal político
Analisando o perfil e o respaldo político dos pré-candidatos, os eleitores observam suas diferenças e qualidades para definir em qual vai votar. Vejamos então alguns aspectos:
Leonardo encontra-se mais popularizado por seu desempenho como advogado e por estar, há dois anos, articulando sua candidatura em diálogo com o eleitorado e os partidos de oposição. Soma a seu favor o apoio declarado do prefeito de Salvador, ACM Neto, cujas pesquisas revelam sua reeleição com grande margem de preferencia.
Ricardo, que nos últimos anos trilhou o movimento das oposições como pré-candidato, estimulado por seu pai, o ex-prefeito Jadiel Mascarenhas, morto após acidente fatal na Br-242, ganhou notoriedade depois que o prefeito e seu tio, João Filho, decidiu abraça-lo como candidato chapa branca.
Jose Raimundo entra no cenário eleitoral itaberabense, mais uma vez, causando grandes polêmicas. Desta vez, já causou um baita estravo na aliança partidária do prefeito, ao tomar-lhe o partido PT do B, que era liderado pela respeitada “Dama de Ferro”, Marigilza Mascarenhas, atual secretária de governo do seu irmão. Três vereadores do PT do B não sabem o que fazer.
Doutor Gilmar, advogado das causas trabalhistas, tem sua candidatura lançada pelo PT, que trava uma luta interna para a sobrevivência da militância e a reeleição do vereador Roberto Almeida, contra a predisposição do deputado federal Walmir Assunção, defensor do pré-candidato chapa branca, Ricardo, forçando a adesão do PT ao projeto político do prefeito João Filho. O chão treme na base do PT.
Haroldo da Caixa desponta com uma candidatura independente pelo Partido Comunista do Brasil, para sustentar um ideário de alternativa socialista, porém não concentra militância suficiente, mas pode fazer a diferença se apresentar um bom discurso.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios