Doença transforma barriga de homem em um alambique

Já imaginou se o seu corpo produzisse automaticamente álcool, te deixando bêbado sem que você precisasse ingerir qualquer tipo de bebida alcoólica? Muita gente provavelmente vai pensar “meu sonho!”, mas esse caso trouxe muita complicação para um homem de 46 anos que vive nos Estados Unidos. Esse homem foi diagnosticado com ABS (Auto-Brewery Syndrome), uma doença rara que faz com que o intestino da pessoa fermente todos os carboidratos ingeridos, causando sintomas de bebedeira mesmo sem ter ingerido qualquer tipo de bebida alcoólica. O problema do paciente começou em 2011, apenas alguns dias após ele terminar um tratamento de antibióticos por conta de uma ferida na mão. O paciente começou a sentir que algo havia mudado nele, pois ele estava apresentando tendências depressivas e a comportamento agressivo, além de dificuldade de concentração e perda de memória recente. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Ele então se consultou com um psiquiatra e passou a tomar antidepressivos, mas só começou a desconfiar do que seria seu problema real após ser parado pela polícia com claros sintomas de embriaguez enquanto dirigia. Após exames, constataram que a concentração de álcool no sangue estava em 200 mg/dL – o equivalente a ter tomado dez caipirinhas – mesmo sem ele ter ingerido nenhum tipo de bebida alcoólica. O rapaz tentava convencer os médicos do problema, mas ninguém acreditava nele, e durante anos teve de viver com esse fardo. A coisa chegou ao cúmulo de, quando estava internado na UTI por conta de um traumatismo craniano causado por uma queda devida à embriaguez gerada pelo corpo, o sangue do paciente apresentou um nível alcoólico de 400 mg/dL, mas mesmo assim os médicos se recusaram a acreditar que havia algum problema com ele além de alcoolismo, acusando-o de ter trazido garrafas de bebida alcoólica de forma escondida para o hospital. O que complicava para o lado dos médicos é que todos os exames que o homem fazia apresentavam resultados normais, e a única inconsistência estava em suas amostras de fezes, que apresentavam a presença da Saccharomyces cerevisiae, um fungo muito usado na fermentação de cervejas caseiras. Levedura de cerveja visto por um microscópio (Imagem: Wikipédia)Após essa última passagem no hospital, o paciente procurou ajuda com especialistas da Universidade de Richmond (EUA), que utilizaram um tratamento que utiliza uma combinação de remédios antifungos e probióticos para regular a flora intestinal do rapaz. Os cientistas da Universidade não descobriram exatamente o que causou essa condição no paciente, mas a hipótese deles é que os antibióticos ingeridos em 2011 mudaram a flora intestinal do paciente, permitindo que o fungo utilizado na produção de cervejas sobrevivesse naquele ambiente. A partir daí o intestino de paciente passou não apenas a consumir carboidratos, mas também a fermentá-los, o que fazia com que o rapaz se sentisse o tempo todo como se estivesse bêbado. Cerca de um ano e meio depois do tratamento, o paciente já vive uma vida normal e consegue comer e beber de tudo – incluindo alimentos ricos em carboidratos, como pães, pizzas e massas – sem que seu corpo transforme eles em álcool. Apesar disso, ele precisa ter sempre um “bafômetro” a tiracolo, pois precisa medir esporadicamente os seus níveis de álcool no sangue para garantir que o fungo não está novamente se instalando no seu intestino. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro que caiu no Japão é parte de asteroide gigante que pode ameaçar a Terra PROMOÇÃO | Xiaomi Mi 8 Lite e Mi 9 Lite por a partir R$999 em 10x sem juros Astrônoma descobre galáxia “fantasmagórica” quase tão antiga quanto o universo Asteroide enorme passará perto da Terra nesta sexta-feira (25) Meizu 16T chega com configurações de ponta e câmera tripla a preços baixos

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios