Crescem as adesões ao Fundo BioFlorestal do Projeto Cariangó

Pedro Augusto, Valdomiro e João Itajair, colaboram com a gestão do Fundo BioFlorestal
Pedro Augusto, Valdomiro e João Itajair, colaboram com a gestão do Fundo BioFlorestal

Em recente reunião do Comitê Gestor do Fundo BioFlorestal, foram confirmadas novas adesões de fazendeiros e empreendedores rurais que estão se dedicando à recomposição florestal das suas propriedades. Criado em assembleia da Fundação Paraguaçu com a participação de dezenas de empresários com invertimentos na zona rural, o Fundo BioFlorestal tem por meta ofertar mudas das espécies nativas do Bioma Caatinga, para que todos os apoiadores do fundo posam receber assistência técnica, plantio e recuperação das áreas degradas das reservas legais ou áreas de preservação permanente (APPs) da fazendas.

Gestão participativa

Uma das características da organização do Fundo BioFlorestal é a transparência e a participação colegiada, salienta Sóstenes Matos, conceituado contador e membro titular, salientando que o Fundo BioFlorestal passa a ser regido por pelo Regimento Interno, o Estatuto da ONG Fundação Paraguaçu e a legislação vigente, tendo natureza contábil e por finalidade criar condições financeiras e de gerência dos recursos destinados ao desenvolvimento das ações e serviços relativos ao Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores para assegurar a preservação ambiental e a melhoria da qualidade de vida da população nas propriedades rurais.

Além de Sóstenes que coordenará a gestão contábil através da Elo Contabilidade, o Comitê Gestor conta com a participação do agrônomo Pedro Augusto Lapa Barreto (Ruy Barbosa), João Itajair Aragão (Boa Vista do Tupim), na condição de membros titulares, além do consagrado cooperativista Valdomiro Vicente Vítor (Itaberaba), o ceramista Ronaldo Sampaio (Iaçu) e o engo agrimessor Neilson da Silva Santos (Itaberaba), como suplentes.

Comemorando o sucesso da participação no projeto, o jornalista e ambientalista Salvador Roger de Souza destaca que “o fundo vai ofertar condições para que todos possam ajudar nosso meio ambiente e a recuperação do nosso Rio Paraguaçu, cujas águas tão benéficas, estão sendo ameaçadas pelo desmatamento”.

Momento histórico da criação do fundo, 16/11, com empresários subscrevendo participação no auditório do Hotel Flor da Chapada em Itaberaba.
Momento histórico da criação do fundo, 16/11, com empresários subscrevendo participação no auditório do Hotel Flor da Chapada em Itaberaba.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios