Candidato a vice de Dinho, Léo Satélite, atrai o apoio do setor produtivo rural

Pecuarista Léo na vice fortalece a candidatura de Dinho.
Pecuarista Léo na vice fortalece a candidatura de Dinho.
Nos últimos anos os produtores rurais no interior do município de Boa Vista do Tupim tem se queixado muito da falta de ações estruturantes e da ausência de novos investimentos da Prefeitura para o desenvolvimento da produção rural, seja para a agricultura familiar, ou para os micros e médios produtores da agropecuária. “Esse é o primeiro setor gerador de emprego e renda do município e, nos últimos três anos, ficou esquecido pela administração do PT”, declarou o conceituado pecuarista Léo Satélite, que nesta semana foi lançado como pré-candidato a vice-prefeito na chapa de Dinho Lopes. A candidatura de Léo foi aprovada pelos dois maiores líderes da politica boa-vistense, os ex-prefeitos Dinho Lopes e Hiran Campos, que unificaram todas as correntes políticas rumo à vitória das eleições no dia 2 de outubro.

Altos prejuízos na área rural

Até o pequeno produtor da agricultura familiar está sofrendo com a falta de apoio e incentivo.
Até o pequeno produtor da agricultura familiar está sofrendo com a falta de apoio e incentivo.
De fato, o pecuarista Léo tem razão. Estudos desenvolvidos pela Fundação Paraguaçu, uma entidade de Itaberaba que desenvolve estudos sobre sustentabilidade ambiental, revela que o município de Boa Vista do Tupim sofreu grandes perdas econômicas diante do drástica redução do seu rebanho, prejudicando não só a agropecuária, sobretudo a agricultura familiar que não foi incentivada. A bacia leiteira boavistense, marcada por boas pastagens, foi a que mais decaiu quase 45% da sua produção, afetada pela falta de melhoria genética e redução do rebanho. O gado de corte reduziu muito a oferta de carne para os mercados consumidores, diminuindo a arrecadação das divisas municipais e empobrecendo os pequenos produtores. Os estudos da ONG estão fundamentados pelos números do IBGE, como demonstram nos dois quadros abaixo, como estavam os reb anhos em 2004 e depois, em 2015, durante a gestão do PT.
Em 2004 – IBGE
Bovinos – efetivo dos rebanhos 52.872 cabeças
Caprinos – efetivo dos rebanhos 6.557 cabeças
Galinhas – efetivo dos rebanhos 24.884 cabeças
Galos, frangas, frangos e pintos – efetivo dos rebanhos 44.914 cabeças
Vacas ordenhadas – quantidade – efetivo de rebanhos 20.498 cabeças
2015 -IBGE
Bovinos – efetivo dos rebanhos 41.320 cabeças
Caprinos – efetivo dos rebanhos 2.375 cabeças
Galináceos Galinhas – efetivo dos rebanhos 14.700 cabeças
Galos, frangas, frangos e pintos – efetivo dos rebanhos 28.350 cabeças
Vacas ordenhadas – quantidade – efetivo de rebanhos 14.836 cabeças

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios