Boa Vista do TupimFlashNotícias da Chapada Diamantina

Vereador denuncia manipulação eleitoral do PT contra o novo loteamento em Boa Vista do Tupim

O Loteamento Vila da Reconstrução é adequado para edificação de centenas de moradias, praças e equipamentos públicos

Inspecionaram o local do novo loteamento, o vereador Derneval e os secretários Mário e Alino.

A área negociada pela Prefeitura de Boa Vista do Tupim, com capacidade para distribuir 404 lotes, beneficiará muitas famílias sem-teto na cidade. Porém, o projeto tem gerado muita polêmica entre as bancadas dos vereadores. Por iniciativa do prefeito Helder Lopes Campos Dinho (PSDB), um projeto de lei foi encaminhado ao plenário da Câmara para regulamentar o loteamento e legalizar a distribuição dos lotes às famílias carentes, entretanto, “a boa intenção do prefeito encontrou grande dose de má vontade na bancada de vereadores liderada pelo derrotado PT”, comentou alguns vereadores da situação.

Para tirar as duvidas sobre a viabilidade da área para assentamento urbano, a reportagem de O Paraguaçu esteve no local, em companhia do vereador Derneval Almeida Santana (PSDB) e os secretários, Mário Ribeiro de Araújo, da Ordem Pública e  Alino Sampaio, dos transportes. Verificada a extensa área que foi totalmente terraplenada pela Prefeitura, constata-se que o Loteamento Vila da Reconstrução é favorecido por diversos fatores como, disponibilidade de espaços adequados para praças e equipamentos públicos, a exemplo de futuras escolas, creches e área de lazer. O terreno apresenta leves aclives que serão disciplinados pelo ordenamento das ruas e lotes, sendo a maior parte da área formada por altiplanos adequados para habitação urbana.

Localização adequada

Vereador Derneval conclama os sem-tetro a fazer logo seu cadastro pra não perder a vaga.

Conforme o vereador Derneval, que lidera a comissão legislativa de negociação do loteamento, a distribuição dos lotes seguirá critérios justos, para “evitar injustiças e beneficiar quem não precisa”. Ele disse que esse projeto ficou quatro anos “na enrolação”, com políticos aliados do PT usando desse momento para conseguir votos. “Mas o prefeito Dinho, em apenas seis meses, deu solução ao terreno e agora o povo tem a certeza do seu local pra morar”.

O secretário Mário enfatizou que o setor de engenharia já ofertou todos os laudos positivos, definindo o terreno como local adequado para bairro habitacional, que na fase inicial já foram cadastrados mais de 80 famílias que atendem aos critérios definidos pela Prefeitura.

Para o secretário Alino, outro detalhe importante é a acessibilidade ao local, pois o loteamento interligará o antigo bairro Coimbra, atual Sol Nascente, com o centro da cidade. A localização favorável vai permitir a integração urbana do Bairro do Coimbra com quase 100 moradias, com a Avenida Central do Bairro das Populares, ampliando o perímetro urbano e gerando nova frente de expansão urbana para a cidade que, atualmente, vem alcançando bom nível de crescimento, diante das novas politicas públicas encetadas pelo Governo da Reconstrução.

Lideranças e técnicos constatam que o local é adequado para o assentamento urbano com qualidade e acessibilidade.

Alerta ao povo

O vereador alerta a população que políticos do PT estão incitando as famílias sem-teto a não fazer o cadastramento, impondo outro local para o loteamento. “O terreno já está comprado pela Prefeitura e homologado em lei”, lembra o vereador. “O que aconselho a essas pessoas é que façam o cadastro e garantam o seu lote, para que amanhã não fiquem reclamando sem ter a quem apelar”, advertiu o vereador Derneval, salientando que “não estamos vendendo ilusões, a Prefeitura estará doando o terreno com documento”.

Salvador do Paraguaçu

Salvador do Paraguaçu ou Salvador Roger Pereira de Souza, é jornalista editor fundador do periódico O Paraguaçu em circulação desde 1976. Solteiro (divorciado) é um ambientalista dedicado em defesa do Rio Paraguaçu. Para tanto criou a ONG Fundação Paraguaçu, com a qual promove o Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores nativas na região do médio Paraguaçu e Chapada Diamantina. O projeto conta com a participação de empreendedores, muitos voluntários e recebe apoio da Fundação Interamericana - IAF, que firmou o convênio BR-898 com a doação de U$49.0 mil dólares, em apoio a etapa inicial da meta de 1.0 milhão de árvores a serem plantadas em cinco anos. O ano inicial é 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close