Direto da RedaçãoFlashItaberabaMeio AmbienteNotícias da Chapada Diamantina

Projeto Cariangó iniciou as ações de reflorestamento da Fazenda Máxima em Boa Vista do Tupim

Momento em que Marcelo Almeida assina o termo do Fundo BioFlorestal acompanhado de sua esposa Adelaide, Adriana, Salvador e Danilo Cony.

Na manhã do sábado, 30 de setembro, a engenheira florestal Adriana Guedes, coordenadora da equipe técnica do Projeto Cariangó, esteve visitando a Fazenda Máxima, situada no interior do município de Boa Vista do Tupim, na margem do Rio Paraguaçu, onde iniciou as ações visando a recomposição florestal da Área de Preservação Permanente (APP) daquela propriedade. Adriana esteve acompanhada pelo ambientalista Salvador Roger de Souza, dirigente da ONG Fundação Paraguaçu, sendo recebidos pelo empreendedor rural Marcelo Almeida de Oliveira e sua esposa Adelaide, o ex-vereador de Itaberaba Geraldo Mata de Oliveira, além do casal de empresários Lúcia e Danilo Cony, que acompanharam o plantio simbólico de duas mudas de Ypê em frente à sede da fazenda, como marco referencial do projeto. “Estou muito feliz com a chegada do Projeto Cariangó em minha propriedade, pois agora eu sei que será possível recuperar toda área de reserva nativa na beira do nosso Rio Paraguaçu”, confessou entusiasmado o fazendeiro Marcelo Almeida.

Diagnóstico

Proprietário Marcelo Almeida mostra parte da área a ser recuperada.

Durante toda manhã a engenheira Adriana percorreu a área de APP, auxiliada pelo agricultor Dau, identificando as espécies nativas e situação do terreno que sofreu intenso desmatamento e erosão do solo, ao longo de muitos anos. Realizou-se também amplo levantamento fotográfico para identificação da situação atual da área a ser reflorestada, assim como as variedades botânicas que compõe a mata ciliar existente na margem do rio.

Eng. Florestal Adriana Guedes auxiliada pelo trabalhado Dau inspeciona a área que será recuperada.

Tendo sido pioneiro na inscrição ao Projeto Cariangó, o fazendeiro Marcelo Almeida teve ativa participação na assembleia de criação do Fundo BioFlorestal, que vai financiar o reflorestamento das propriedades dos associados. Sua fazenda já estava agendada para a visita técnica, tanto que ele preparou a área de reflorestamento, calculada em 15ha, isolando com uma grande cerca a extensa margem do Rio Paraguaçu.

 

Viveiro

Dona Adelaide auxilia Adriana no plantio da primeira muda do reflorestamento acompanhadas por Salvador, Geraldo e Marcelo.

Para viabilizar a recuperação da extensa APP, a Fundação Paraguaçu implantará dentro da propriedade uma Estufa para a produção das mudas, cujo viveiro vai atender também a outras propriedades na região, associadas do Fundo BioFlorestal.

Com esta ação, o Projeto Cariangó vai solucionar o passivo ambiental da Fazenda Máxima, exigido pelos órgãos de fiscalização.

 

Salvador do Paraguaçu

Salvador do Paraguaçu ou Salvador Roger Pereira de Souza, é jornalista editor fundador do periódico O Paraguaçu em circulação desde 1976. Solteiro (divorciado) é um ambientalista dedicado em defesa do Rio Paraguaçu. Para tanto criou a ONG Fundação Paraguaçu, com a qual promove o Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores nativas na região do médio Paraguaçu e Chapada Diamantina. O projeto conta com a participação de empreendedores, muitos voluntários e recebe apoio da Fundação Interamericana - IAF, que firmou o convênio BR-898 com a doação de U$49.0 mil dólares, em apoio a etapa inicial da meta de 1.0 milhão de árvores a serem plantadas em cinco anos. O ano inicial é 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close