Enfoque BaianoFlash

Possibilidade de votação da reforma política divide opiniões de senadores baianos

Senadores Baianos

Os senadores baianos demonstram expectativas diferentes a respeito da votação do texto da reforma política em tempo hábil para que seja efetivada para as eleições de 2018. Em discussão na Câmara dos Deputados há cerca de um ano, para que entre em vigor no pleito do ano que vem a matéria precisaria ser votada até pelo menos um ano antes da eleição, prazo que se encerra no próximo dia 5 de outubro. O senador Otto Alencar (PSD) garante que, com a proximidade do prazo final, não há chances de o texto ser votado e aprovado na Câmara e ainda ser encaminhado para uma nova votação no Senado. “Já tem tanto tempo esse texto lá, ainda precisa ser aprovado para vir para o Senado, agora faltando 11 dias para o prazo final eles pensam em agilizar. E nem tudo que a Câmara acha que é bom, o Senado pode dizer que é bom para o Senado também”, afirmou Otto, acrescentando que a lentidão para a votação reflete interesses políticos dos deputados. “O que eles querem é um texto de lei que garanta a reeleição de quem está na Câmara”, concluiu. A senadora Lídice da Mata (PSB) afirmou que espera que a votação aconteça, mesmo que em um texto mais simples e atribui a demora a uma falta de prioridade com que a matéria foi tratada. “O parlamento existe para defender interesses diversos. A expectativa é que a Câmara vote o texto porque, se não, vai ser uma grande frustação. Nem que seja o texto básico que foi enviado”, disse. O senador Roberto Muniz (PP) foi procurado, porém até a conclusão da apuração não foi localizado para comentar o tema. 

Fonte: Bahia noticias

Salvador do Paraguaçu

Salvador do Paraguaçu ou Salvador Roger Pereira de Souza, é jornalista editor fundador do periódico O Paraguaçu em circulação desde 1976. Solteiro (divorciado) é um ambientalista dedicado em defesa do Rio Paraguaçu. Para tanto criou a ONG Fundação Paraguaçu, com a qual promove o Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores nativas na região do médio Paraguaçu e Chapada Diamantina. O projeto conta com a participação de empreendedores, muitos voluntários e recebe apoio da Fundação Interamericana - IAF, que firmou o convênio BR-898 com a doação de U$49.0 mil dólares, em apoio a etapa inicial da meta de 1.0 milhão de árvores a serem plantadas em cinco anos. O ano inicial é 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close