FlashIbiqueraNotícias da Chapada Diamantina

Há muitos anos sem gestão na saúde Ibiquera organiza-se para ter hospital municipal

Prefeito Ivan Almeida defende a repatriação dos ibiquerenses registrados em outros municípios.
Prefeito Ivan Almeida defende a repatriação dos ibiquerenses registrados em outros municípios.

O município de Ibiquera sinaliza a saída do caos administrativo a que foi submetido ao longo de muitos anos, agora que a gestão pública está sendo levada a sério e com planejamento para o futuro, promovendo muitas ações inovadoras, inclusive assegurando a implantação do hospital municipal de pequeno porte. É o que anuncia o prefeito Ivan Claudio de Almeida, que vem enfrentando muitos gargalos e dificuldades financeiras para administrar um município muito pobre, cuja renda se resume à quota parte mensal de 0.6 do Fundo de Participação dos Municípios – FPM, que é repassado pelo governo federal.

Toda estrutura do antigo Centro de Saúde da Praça São José, está sendo redimensionado e modificado.
Toda estrutura do antigo Centro de Saúde da Praça São José, está sendo redimensionado e modificado.

“A prefeitura foi dominada ao longo de 20 anos, por políticos despreparados que utilizaram o patrimônio público para garantir o enriquecimento ilícito, gerindo a Prefeitura sem planejamento e sem escrúpulos”, criticou o prefeito Ivan Almeida, bacharel em direito, ao se deparar nos últimos 170 dias de sua administração, com um diagnóstico revelando que o município encolheu, em lugar de somar seu crescimento populacional.

Repatriação

Em seu gabinete, o prefeito Ivan articula ações jurídicas cabíveis à repatriação.
Em seu gabinete, o prefeito Ivan Almeida articula ações jurídicas cabíveis à repatriação dos filhos de Ibiquera.

Ivan Almeida revela que, diante da falta de assistência para saúde e serviços de amparo social, o povo residente nas fronteiras da zona rural, buscavam atendimento nos municípios vizinhos de Boa Vista do Tupim, Andaraí e Lajedinho. “Muitas famílias ibiquerenses se viam obrigadas a realizar partos e nascimentos dos bebês em outras cidades, onde os nascituros eram registrados – revela o prefeito indignado – reduzindo a população do município”. Até os óbitos de centenas de ibiquerenses eram registrados nos municípios vizinhos.

“Nossa meta é a repatriação de todos os cidadãos, nossos irmãos ibiquerenses”, disse o prefeito Ivan Almeida, ao revelar que os números da população pelo IBGE, demonstram que houve negligencia dos ex-prefeitos nas fases dos Sensos.

População decrescente

Ivan Almeida afirma: serviços públicos de qualidade e atenção para a saúde da população, vai resgatar a alegria de ser cidadao ibiquerense.
Ivan Almeida afirma: serviços públicos de qualidade e atenção para a saúde da população, vão resgatar a alegria de ser cidadão ibiquerense.

Em lugar de crescer, Ibiquera encolheu e empobreceu mais.

Pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas – IBGE, o município tinha 4.866 habitantes no Censo de 2010, com uma estimativa para 2013, de 5.158 habitantes. Porém, para 2016, o IBGE projetou uma estimativa para menor, de 4.207 pessoas.

Estes números refletem diretamente na economia do município, reduzindo ou ampliando as verbas para saúde, educação e assistência social. Comparando os números da população, o prefeito Ivan Almeida, revela que na gestão da saúde, os dados do DATA/SUS registram uma população menor com apenas 4.232hab. “Existe uma defasagem de quase 1.000 ibiquerenses que são contados para outros municípios, reduzindo as verbas da saúde e demais serviços da Prefeitura”. Por isso, a meta da Administração “Nasce Uma Nova Ibiquera” é repatriar os ibiquerenses, oferecendo serviços públicos de qualidade e melhor assistência à saúde da população, salienta o prefeito.

Salvador do Paraguaçu

Salvador do Paraguaçu ou Salvador Roger Pereira de Souza, é jornalista editor fundador do periódico O Paraguaçu em circulação desde 1976. Solteiro (divorciado) é um ambientalista dedicado em defesa do Rio Paraguaçu. Para tanto criou a ONG Fundação Paraguaçu, com a qual promove o Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores nativas na região do médio Paraguaçu e Chapada Diamantina. O projeto conta com a participação de empreendedores, muitos voluntários e recebe apoio da Fundação Interamericana - IAF, que firmou o convênio BR-898 com a doação de U$49.0 mil dólares, em apoio a etapa inicial da meta de 1.0 milhão de árvores a serem plantadas em cinco anos. O ano inicial é 2016.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close