Enfoque BaianoFlash

Conselho de Ética instaura nesta terça processo que pode cassar Lúcio Vieira Lima

O deputado baiano Lúcio Vieira Lima (MDB), está envolvido com as malas de dinheiro do seu irmão e ex-ministro Geddel.

Conselho de Ética da Câmara dos Deputados marcou para a próxima terça-feira (27) uma reunião para instaurar  o processo que pode cassar o mandato do deputado baiano Lúcio Vieira Lima (MDB). Os processos disciplinares pedem ainda a cassação dos deputados Paulo Maluf (PP-SP), Celso Jacob (PMDB-RJ) e João Rodrigues (PSD-SC). Os últimos três cumprem pena de prisão. O também baiano, deputado Elmar Nascimento (DEM) que vai definir o nome do relator do processo.

O relator será responsável pela elaboração de um parecer preliminar em até 10 dias úteis para avaliar se as representações contra os parlamentares têm fundamento para seguir adiante ou ser arquivadas. Caso seja aprovada a continuidade do processo, será aberto prazo de 40 dias úteis para a fase de coleta de provas e depoimentos de testemunhas.

Logo após, o relator terá que apresentar parecer acatando ou rejeitando os argumentos da representação. O processo então segue para votação no plenário. Lúcio Vieira será investigado por quebra de decoro parlamentar no caso que envolve as malas com R$ 51 milhões encontradas pela Polícia Federal (PF) em Salvador. O dinheiro estava em um imóvel atribuído a Lúcio e ao irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Os partidos PSOL e Rede, autores da representação, pedem a cassação do mandato do parlamentar. Em dezembro, a Procuradoria-Geral da República denunciou Lúcio Vieira Lima, Geddel Vieira Lima, e outras quatro pessoas ao Supremo Tribunal Federal (STF) por lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Salvador do Paraguaçu

Salvador do Paraguaçu ou Salvador Roger Pereira de Souza, é jornalista editor fundador do periódico O Paraguaçu em circulação desde 1976. Solteiro (divorciado) é um ambientalista dedicado em defesa do Rio Paraguaçu. Para tanto criou a ONG Fundação Paraguaçu, com a qual promove o Projeto Cariangó, que tem por meta o plantio de 1.0 milhão de árvores nativas na região do médio Paraguaçu e Chapada Diamantina. O projeto conta com a participação de empreendedores, muitos voluntários e recebe apoio da Fundação Interamericana - IAF, que firmou o convênio BR-898 com a doação de U$49.0 mil dólares, em apoio a etapa inicial da meta de 1.0 milhão de árvores a serem plantadas em cinco anos. O ano inicial é 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *